As rodovias e o bairros em que elas passam na cidade de Guarulhos

Rodovia Presidente Dutra – BR116
·    Itapegica
·    Ponte Grande
·    Vila Augusta
·    Porto da Igreja
·    Centro
·    Macedo
·    São Roque
·    CECAP
·    Varzea do Palacio
·    Cumbica
·    Preasidente Dutra
·    Pimentas
·    Bonsuceso
·    Sadokim
·    Agua Chata
·    Aracilia

Rodovia Fernão Dias – BR381
·    Ponte Grande
·    Itapegica
·    Vila Galvão

Rodovia Ayrton Senna da Silva – SP-070
·    Ponte Grande
·    Porto da Igreja
·    Varzea do Palacio
·    Cumbica
·    Pimentas
·    Itaim

Rodovia Helio Smidt – SP-019 / BR-610
·    Varzea do Palacio
·    CECAP
·    Cumbica
·    Taboão
·    Aeroporto

Rodovia Juvenal Ponciano de Camargo – SP-36
(Estrada Guarulhos – Nazaré Paulista)
·    São João
·    Fortaleza
·    Capelinha
·    Agua Azul

A localização da cidade de Guarulhos

Guarulhos é uma cidade do estado de São Paulo. Está localizada a nordeste e distante 17km do marco zero da capital.  É uma das 39 cidades que compõe a região metropolitana da cidade de São Paulo. A cidade é cortada pelo Trópico de Capricórnio.

Municípios vizinhos

Município Localização Distancia Terrestre
Arujá Leste 25,9
Itaquaquecetuba Sudeste 28,2
Mairiporã Noroeste 25,5
Nazaré Paulista Norte 45,3
São Paulo Sul-Sudoeste-Oeste 17,7
Santa Isabel Nordeste 43,6

Municípios vizinhos de Guarulhos

A Grande Guarulhos

Moro em Guarulhos. Cidade grande pequena com acessos internacionais. Atrapalhada e desconhecida até para seu milhão de moradores. A falta geral de identidade da cidade me inspira expor sua personalidade que consigo abstrair.

A cidade de Guarulhos é formada basicamente por migrantes. Migrantes brasileiros. Eles vêm em busca de oportunidade, empregos, melhores condições, motivados por parentes. Eles vêm motivados, motivados, motivados…

Guarulhos é mega populosa, segundo o IBGE 2009 somos 1.299.283 habitantes.

Essa migração é cultural. Ouvi dizer que na década de 70, ditos guarulhenses traziam ônibus cheio de famílias sob a oportunidade de melhor vida. O que ouvi, era assim: O cara vem pra cá com terra garantida (as vezes um pequeno valor ou bem facilitado) desmata a floresta ( pois sim , são eram muitas florestas), constrói e traz a família ‘esquentando’ a propriedade e por fim,  enriquecendo o dito dito acima.

Agora, com isto posto, concluo que além da migração, a invasão e o desmatamento também são aspectos culturais.

Com isso a cidade foi crescendo, crescendo e crescendo. Transformando, transformando e transformando. Pois antes tudo era floresta e rota. Ela foi perdendo o charme que ficou resgatado no clima interiorano de Santa Isabel e no clima serrano da Cantareira, Mairiporã ou Nazaré Paulista. Entenda e perceba:

Fronteira Fernão Dias
O bairro da Vila Galvão, responsável pelo desenvolvimento de grande parte da cidade, não consegue conseguiu  preservar seus aspectos históricos e significativos das construções, comércios, costumes. Não preserva preservou seus aspectos naturais. Bairro importante para o desenvolvimento da capital São Paulo e até do Brasil.

Fronteira Rodovia dos Trabalhadores

- Lá tem o aeroporto!
Certa vez, voltando de São Jose dos Campos de carona com um Sueco no percurso ele me perguntou se achava que Guarulhos era uma cidade bonita. Sorri e disse que sim. Quando nos aproximamos de Guarulhos e começou a aparecer a cidade sendo formada desordenada e precariamente ele fez uma menção com a mão e perguntou novamente: – Você acha isso bonito? novamente sorri mas não soube como responder).

- Lá tem o Rio Tiete. LÁ TEM O RIO TIETÊ!!!

Rodovia Presidente Dutra

É uma fronteira bem extensa. Corta a cidade em algum ponto.

Uma vez morei em uma pequena cidade cortada por uma importante rodovia. O acesso e a entrada para a cidade eram bem sinalizados e iluminados. Quando você entrava nela logo encontrava um centro de informações turísticas. A cidade não tinha grandes nem muitos atrativos turísticos, mas sempre aparecia algum desavisado.

Mas antes disso ainda na estrada, você era avisado nos limites do município e algumas vezes quantos quilômetros faltavam para chegar. Lá a cidadezinha, se você quisesse, podia pegar um ônibus na rodoviária, para bairros ‘urbanos’ e ‘rurais’, cidades vizinhas e outras cidades que ficavam um pouco mais distantes. Pena que lá não tinha bilhete único.

Lá tinha trem. É verdade que a bela, encerada e arejada estação sofreu alguns desfalques. Mas ela se manteve lá. Firme e forte. Funcionando mesmo esquecida e bem desfalcada. Atualmente infelizmente ela não mais serve para transporte de passageiros, apenas de carga.

Dá pra sacar como Guarulhos se perde?
Não é interior nem capital, é Grande Guarulhos.

Foto: Laboratorio de Geoprocessamento UnG